Plantamed

Busca no Plantamed, com o Google. Diabetes Melitus


Prevenção é o primeiro passo.

Os números da Organização Mundial de Saúde não deixam dúvidas de que a Diabete ou o Diabetes Melitus é uma doença grave e merece todos os cuidados. Calcula-se que, de cada 100 pessoas, sete sofram da doença. No mundo, isto equivale a cerca de 150 milhões de pessoas. Pelos cálculos da OMS até 2025, o número de doentes pode dobrar.
Mas exatamente o que é a Diabete? É um distúrbio causado pela falta de insulina no organismo, o que faz com que a glicose ingerida fique circulando pelo sangue em vez de se transformar em energia. A insulina é o hormônio necessário para a utilização do açúcar como fonte de energia necessária para o nosso dia-a-dia.

Se não for tratada de forma adequada, a doença pode provocar complicações sérias como insuficiência renal, cegueira e alterações cardiovasculares e neurológicas. Apesar de não ter cura e suas causas serem desconhecidas, a Diabete tem tratamento. Contudo, o mais importante é o diagnóstico precoce da doença.

A Diabete é classificada por dois tipos. A de Tipo 1 causada pela destruição das células do pâncreas e pela conseqüente interrupção na produção de insulina, não tem prevenção conhecida.

A de Tipo 2 ocorre quando o organismo produz insulina insuficiente para a quantidade de glicose consumida, e pode ser prevenida.

Para uma pessoa saber se tem Diabete o primeiro passo é analisar as possibilidade de fazer parte dos grupos de risco que são formados por:
- pessoas que têm na família alguém com Diabete do tipo 2;
- pessoas que estão muito acima do peso;
- pessoas que já passaram dos 40 anos;
- mulheres que deram à luz bebês com mais de quatro quilos;
- pessoas que nasceram pesando mais de quatro quilos

O segundo passo é fazer exames regulares para medir o nível de glicose no sangue, que podem identificar o desenvolvimento inicial da doença. Os médicos especialistas indicados para tratar a Diabete e solicitar os exames são os endocrinologistas, os clínicos gerais, gastroenterologistas, cardiologistas e os nutricionistas.

Mais importante do que tratar a doença é preveni-la com uma dieta balanceada, pouca ingestão de açúcar e atividade física regular. Pesquisas feitas por endocrinologistas apontam que pacientes com propensão a Diabete Tipo 2 podem diminuir o risco caminhando regularmente 30 minutos por dia. O índice diminui em 6% por 500 calorias/quilo de energia gasta por semana (média gasta durante a caminhada).

Texto extraído na íntegra do site  www.sabinonline.com.br, conforme autorizado pela Gerência de Marketing, por e-mail, em 17/01/2006.